Blog Primaza

Rebanho no verão: você sabe como proteger seus bovinos?

Quer garantir a produtividade do rebanho no verão? Então você precisa saber quais cuidados são necessários para proteger os bovinos contra o calor!

O verão nem bem começou e o Brasil já foi palco de temperaturas extremamente altas. Na sexta-feira do dia 25 de dezembro, por exemplo, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontou que o Mato Grosso do Sul apresentou a maior temperatura desde 21 de dezembro, data que se deu início à estação.

Porto Murtinho, município no estado de Mato Grosso do Sul localizado às margens do Rio Paraguai, registrou a máxima de 38º C. Mas, os especialistas dizem que a sensação térmica pode ter ultrapassado os 40ºC. 

Quando o termômetro sobe dessa maneira, problemas de saúde como desidratação, doenças infecciosas, males respiratórios, problemas renais, infarto e derrames podem se tornar mais frequentes por conta do calor

Mas não são apenas os seres humanos que precisam tomar alguns cuidados para evitar riscos à saúde. Na agropecuária, os pecuaristas também precisam redobrar a atenção para impedir que o rebanho sofra e a criação de gado saia prejudicada pelo excesso de temperatura.

Quer saber quais são os cuidados necessários para proteger o rebanho durante o verão? Então continue com a gente para descobrir quais são as previsões do tempo para o próximo ano, como o calor pode prejudicar a criação de bovinos e o que o pecuarista precisa fazer para proteger os seus animais.

Boa leitura! 

Verão 2021: Quais são as previsões de tempo para o próximo ano?

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a estação mais quente do ano trará consigo períodos com chuvas acima da média na maior parte da Região Norte, Nordeste e Centro-Oeste. 

Os estados do Amazonas, Pará e Tocantins, pertencentes à Região Norte do Brasil, podem sofrer com chuvas abaixo da média. O mesmo vale para os estados do nordeste, distantes do litoral do Maranhão ao Rio Grande do Norte.

No sul do Mato Grosso do Sul e em algumas localidades de Goiás, as chuvas ficarão mais próximas à média. Da mesma forma que na Região Sudeste, onde pode ocorrer chuvas ligeiramente acima da faixa normal. 

Na região sul, por outro lado, com a previsão do fenômeno La Niña, a possibilidade da chuva ficar abaixo da média no Rio Grande do Sul, oeste de Santa Catarina e sul do Paraná é grande. Contudo, nas demais áreas, as chuvas podem variar entre o normal e acima da faixa. 

A questão é que, indiferente da região, tudo indica que as temperaturas estarão altas em praticamente todo o território nacional durante o verão. Algumas regiões poderão sofrer com a escassez de chuva, enquanto outros territórios poderão lidar com os excessos.

Para minimizar os possíveis impactos na criação de bovinos durante a estação, o pecuarista precisa acompanhar de perto as previsões do tempo para preparar a sua fazenda e proteger todo o rebanho. Seja adotando medidas contra o excesso de chuva, escassez e principalmente calor.  

Como o calor pode prejudicar o rebanho e a atividade pecuária

A pecuária está relacionada à criação, venda e exportação de gado para abate. Nessa atividade o fator clima tem “peso”, e estações climáticas como verão e inverno podem prejudicar a produção se o pecuarista não estiver preparado para cuidar do rebanho.  

Abaixo, veja como calor pode prejudicar os animais e a atividade pecuária:

Impactos na pastagem

O pasto é considerado a principal fonte de subsistência do rebanho, e o pecuarista depende da qualidade dessa vegetação para fornecer bons nutrientes aos animais. 

Nesse caso o calor em excesso pode se tornar um problema, uma vez que as altas temperaturas do verão tendem a deixar o solo mais seco e compacto. Assim, impedindo que a pastagem cresça com qualidade e nas quantidades certas. 

O excesso de calor aumenta o estresse dos animais 

Altas temperaturas costumam gerar um desconforto muito grande, e isso pode fazer com que os animais da propriedade produzam uma quantidade maior de cortisol. O cortisol é um hormônio que está relacionado ao estresse, e que pode ocasionar em sintomas graves como perda de massa muscular, queda de peso e imunidade baixa. 

Os bovinos podem perder líquidos e sais minerais importantes

No verão o rebanho tende a beber mais líquido para regular a sua temperatura corpórea. Por conta disso muitos animais podem desenvolver sudorese, uma condição que provoca suor excessivo e que faz com que percam líquidos e sais minerais importantes através da transpiração. 

No gado leiteiro, a perda desses líquidos e minerais pode prejudicar a produção de leite enquanto que, no gado para corte, pode afetar a qualidade da carne.

O rebanho pode perder o apetite e se alimentar menos

O calor excessivo aumenta o estresse e esse fator pode influenciar para que os animais da propriedade percam o apetite e se alimentem menos. Como consequência disso, boa parte do rebanho pode perder peso, massa muscular e até mesmo produtividade. 

A propriedade pode ter quedas de produtividade e reprodução 

As altas temperaturas do verão também são responsáveis pela queda de produtividade e reprodução do rebanho. Isso porque o calor em excesso pode afetar a reprodutividade das fêmeas, bem como influenciar na temperatura corporal do macho e na produção do sêmen.

As altas temperaturas afetam o desenvolvimento dos bezerros

O desenvolvimento dos bezerros também pode ser afetado pelo aumento de calor, sabia? O animal, quando muito jovem, tende a ter mais dificuldade para manter a regulagem da sua temperatura corpórea. Além de apresentar uma frequência cardíaca e respiratória mais elevada quando comparada aos animais mais velhos.

Bovinos no verão: veja 6 dicas práticas para proteger o seu rebanho

Agora que você já sabe como o calor pode prejudicar o rebanho e a atividade pecuária, que tal conferir algumas dicas simples para proteger os animais da sua propriedade durante o verão?  

Dica 1: Forneça água limpa e fresca  

Assim como os seres humanos, os animais também dependem de água para se manterem hidratados. A falta de água limpa e fresca pode gerar uma série de consequências como redução de crescimento, aumento de estresse, queda de imunidade, entre outros. 

Sendo assim, cabe a você, pecuarista, disponibilizar bebedouros e recipientes grandes suficientes para que todos os animais tenham acesso à água. Também, fixar pontos de água em vários locais estratégicos da fazenda para que os bovinos não precisem se locomover muito para chegar até o líquido.

Dica 2: Disponibilize vários pontos com sombra na fazenda

A exposição aos raios solares pode prejudicar (e muito) o bem-estar e a saúde do rebanho. Portanto, para impedir que algum animal adoeça, fique fraco ou até mesmo sofra com insolação, o ideal é que a sua propriedade tenha árvores de grande porte ou abrigos construídos para gerar sombra. 

Se a sua fazenda tem pouca vegetação e você quiser optar por construir abrigos, lembre-se de que essas construções precisam ter altura mínima de 3,5 metros e precisam ser espaçosas suficientes para comportar todos os animais. Também, que serão erguidas com materiais adequados que não isolam o calor e que permitem a ventilação natural.

Dica 3: Evite manipular o rebanho em horários muito quentes

Manipular o rebanho em horários muito quentes não é, nem nunca será uma boa ideia. Isso porque o procedimento pode ocasionar no aumento de temperatura corporal dos animais, gerando assim um estresse desnecessário que pode causar perda de produção. 

Deste modo, em dias muito quentes, opte por manipular o rebanho no começo do dia ou até mesmo no final da tarde. Nesses horários as temperaturas costumam ser mais baixas e amenas, tornando o procedimento menos estressante. 

Dica 4: Planeje o transporte dos seus animais com antecedência

Se você não quer comprometer o bem-estar e a saúde do seu rebanho, você precisa programar o transporte dos animais com antecedência para minimizar ao máximo os efeitos do clima. 

Por meio de um planejamento você pode pré-determinar o trajeto, marcar os locais com sombra e preparar água limpa e fresca. Inclusive estabelecer horários específicos para descanso. 

Obs: Assim como na dica anterior, os bovinos também precisam ser transportados no começo do dia ou no final da tarde.

Dica 5: Fique atento ao comportamento dos animais

Os animais que correm mais risco de sofrer estresse térmico são os mais jovens, velhos e doentes. O estresse pode afetar o comportamento desses bovinos, gerando aumento da respiração, perda de apetite e, em alguns casos graves, inconsciência.

Para não correr o risco de sofrer alguma perda por conta do calor, fique atento aos animais que apresentarem qualquer sinal de estresse ou comportamento suspeito. Se perceber que algum deles está comendo pouco ou está muito estressado, leve-o imediatamente para a sombra, ofereça água limpa e fresca e coloque toalhas molhadas sobre ele.

Dica 6: Assegure que todos os animais estão recebendo alimentação adequada

O pecuarista só consegue ter sucesso na atividade pecuária quando os seus animais apresentam uma boa performance, tamanho e peso. Assim sendo, seja com pastagem ou ração, certifique-se que cada um dos animais da propriedade está recebendo os nutrientes necessários e suficientes para engorda e crescimento.   

Dica 7: Verifique se as vacinas estão em dia

No verão o risco de surgirem carrapatos, parasitas e vermes tende a ser maior. Assim, se você não quer ter problemas com isso e nem arcar com custos inesperados com veterinário, verifique se todas as vacinas e medicações estão em dia. Dessa forma ficará mais fácil de evitar contágios ou aparecimento de novas infecções e doenças no rebanho.

Como a tecnologia pode ajudar nos cuidados com o rebanho

As dicas acima são simples, mas muitos pecuaristas podem encontrar dificuldades na hora de fazer a gestão por conta do volume de animais que precisam de cuidados. Nesse caso, contar com a tecnologia para fazer o gerenciamento correto do rebanho pode ser uma alternativa interessante para simplificar e otimizar o controle. 

Brincos eletrônicos para identificação de bovinos e bastões eletrônicos, por exemplo, quando integrados a um software de gestão, podem tornar todo o processo de cuidados com o rebanho mais simples e prático. Não acredita? Vamos explicar!

O brinco eletrônico é um dispositivo equipado com chip de baixa frequência, que permite a leitura de informações via bastão leitor. Por meio dessa tecnologia é possível automatizar a coleta de dados e eliminar as chances de erros no registro das informações. 

Também garantir mais eficiência no manejo uma vez que o contato com animais é menor —, bem como reduzir o estresse do gado durante todo o procedimento.

O bastão eletrônico, por outro lado, é uma ferramenta que se conecta a outros dispositivos para compartilhar informações simultaneamente. Isso significa que você pode coletar os dados dos brincos eletrônicos e repassá-los para um software de gestão de rebanho para acompanhar o progresso de todos os animais.

Neste software você pode verificar as datas das vacinas e fazer o acompanhamento mais detalhado e profundo da evolução e da saúde dos seus bovinos. Também programar o manejo com antecedência de modo a impedir que o procedimento seja realizado em dias com altas temperaturas.

Incrível, não é? Cuidar do rebanho durante o verão pode ser mais simples com o uso dessas ferramentas. 

 

Gostou do tema? Já sabe como proteger o seu rebanho ou ficaram dúvidas sobre o assunto? 

Se você quiser saber mais sobre o mundo da pecuária e como os brincos eletrônicos para identificação de bovinos podem otimizar a atividade, continue lendo o nosso blog ou clique aqui para conhecer nossos produtos

Ou, se preferir, entre em contato com um de nossos especialistas para esclarecer todas as dúvidas!   

  

  • E-mail contato@primaza.com.br
  • Orçamento (55) 98154-0054
  • Pós-Venda (55) 3375-8443
  • Endereço
    Avenida Presidente Kennedy 3400, Bairro Arco-Íris
Open chat
Fale conosco
Powered by